sábado, 19 de janeiro de 2019

CASA DOS PAPÉIS-175: DR. JOÃO BAPTISTA MARQUES FERREIRA


CORREIO PAULISTANO-Nº20.476-SEGUNDA-FEIRA, 5 DE JULHO DE 1920
 
EM DOURADO-HORRIVEL DESASTRE-FALLECIMENTO
DO DR. JOÃO BAPTISTA MARQUES FERREIRA
( Do nosso correspondente, em 3)
 
A's 15 horas do dia 30 do mez p.p.deu-se um horrível desastre mais ou menos na chave do sr. LUIZ CARLOS DE OLIVEIRA BORGES.
Chamado o dr. MARQUES FERREIRA para soccorrer um ferido na fazenda "NOVA AMERICA", do sr. dr. ANTONIO CAJADO, s.s. partiu para ali de automóvel, em companhia de seu auxiliar, pharmacêutico ELOY DE CARVALHO BRAGA.
Terminado o serviço de sua nobre profissão naquella fazenda, foi o dr. MARQUES chamado pelo telefone para soccorrer outro doente na fazenda do sr. JOÃO DE ABREU.
Attendendo ao chamado, partiu immediatamente em socorro do seu cliente. A linha da companhia DOURADENSE, como todos sabem, atravessa por muitas vezes a estrada de rodagem desta cidade para as fazendas daquelles lados.
Existindo uma machina em reparo nas officinas da companhia, esta recebeu ordem para que sahisse afim de fazer experiências, si estaria ou não em condições de prestar francos serviços, e, assim determinada, partiu dita machina sozinha, desta estação para a de SANTA CLARA, confiada ao machinista OTTO SCHIMIDT e MARIO SANTIAGO, ambos não contando mais de que 22 anos de edade. É de praxe, todas as machinas apitarem em todas as curvas e travessas de estradas de rodagem, o que infelizmente não succedeu com esta. A estrada de rodagem, como acabmos de dizer, é cortada pela linha douradense por muitas vezes. O dr. MARQUES, tendo passado a primeira travessa sem aviso absolutamente nenhum da machina n.6 de experiências, que rodova pela linha a fora, seria justo que passasse a segunda travessa que dista uma da outra mais ou menos duzentos metros, sem receio absolutamente de ser apanhado pela machina, porquanto ainda na segunda passagem o machinista não tinha dado siquer um apito. Nesta ultima passagem existe uma recta da estrada de ferro, mais ou menos de cem braças.
É justo que ao atravessar a linha o dr. MARQUES diminuísse a velocidade do automóvel, mormente tendo à frente uma pequena subida de areal.
O machinista, avistando o automóvel daquella distancia, não tomou o trabalho de apitar e nem diminuir a marcha de sua machina, suppondo que desse tempo do automóvel atravessar. Quase ao apanhar o automóvel mais ou menos uns três metros de distancia, foi que se lembrou de dar o primeiro e ultimo apito a miúdo.
Neste momento o pharmacêutico  ELOY DE CARVALHO BRAGA, que viajava na frente do automóvel junto ao dr. MARQUES, por espirito de curiosidade poz a cabeça para fora para ver de que se tratava, quando o automóvel foi apanhado por de trás atirando immediatamente ELOY BRAGA para fora do automóvel, que, graças à providencia DIVINA, cahiu de pé de um lado da estrada sem a menor arranhadela, dando-lhe apenas um insignificante mau geito na perna esquerda e costas, não lhe acontecendo mais nada absolutamente.
Nesta passagem existe um mata-burro, que dista da estrada de rodagem mais ou menos dois metros, e ali foi atirado o automóvel com o dr. MARQUES, que no segundo choque, se precipitou com a cabeça de encontro ao alicerce do mata-burro, fracturando a perna esquerda e a parte inferior do craneo, ficando sem fala e quase morto e o machinista assassino prolongou a sua estupida viagem sem cortar a marcha da machina, mais ou menos cento e cincoenta metros de distancia, apesar do sr. ELOY BRAGA pedir-lhe por favor que parasse a locomotiva.
Parada a locomotiva, chegaram-se ao sr. ELOY BRAGA o foguista e machinista.
O sr. ELOY pediu-lhes para que conduzisse a DOURADO com a locomotiva afim de dar as providencias necessárias, porquanto estavam retirados mais ou menos 4 quilômetros de distancia.
Ambos se recusaram energicamente a prestar qualquer auxilio, dizendo que tinha que seguir viagem e não podiam atender-lhe, porem, ao chegarem à estação mais próxima, que é a de SANTA CLARA, telegrapharam ao trafego communicando a horrível scena.
E si bem o disseram melhor o executaram.
Partiram deixando o sr. ELOY BRAGA e a victima, dr. MARQUES. Na ponta da recta a que há pouco nos referimos, trabalhavam 2 homens da turma de nomes JOAQUIM DIOGO e JOSÉ DA SILVA, que presenciaram o desastre, acorrendo immediatamente ao local.
ELOY BRAGA pediu as estes homens que tivessem piedade de olhar o corpo da victima, emquanto iria pedir soccorro a DOURADO, e assim sendo partiu a pé. Ao chegar no espigão da fazenda do sr. LUIZ BORGES, alcançou um cocheiro da mesma fazenda, o qual lhe cedeu o animal com toda boa vontade para abreviar mais a sua viagem.
Dada a noticia, dirigiram-se para o local a policia e mais pessoas de amizade do infeliz dr. MARQUES.
Momentos depois a COMPANHIA mandou retirar os pedaços do automóvel para dar passagem a outros comboios.
Transportada a victima para DOURADO, foi soccorrido immediatamente pelo dr. MALACHIAS GUERRA JUNIOR, pharmaceuticos MARCILIO PENTEADO, ELOY DE CARVALHO BRAGA, LEOPOLDO MACHADO e MANUEL JANUARIO DE ARAUJO.
Sendo considerado gravíssimo o seu estado, foi removido immediatamente em trem especial para a SANTA CASA DE BOCAINA, sendo acompanhado pelo medico dr. GUERRA JUNIOR, pharmaceuticos MARCILIO PENTEADO e ELOY BRAGA e muitas outras pessoas de sua família.
Chegada a victima à Santa Casa, ficou entregue aos cuidados dos illustres facultativos drs. TACITO COSTA, OSORIO DIAS, MUTTO MANFRÊ. MARIO DIAS COSTA, ALBERTO COELHO, ANTONIO AMARAL CARVALHO, JOSÉ BONIFACIO, MANUEL DE ABREU e aos bondosos enfermeiros, que depois de examinarem deram o caso como perdido.
Apesar dos esforços incançaveis destes illustres homens da sciencia, o saudoso dr. MARQUES, pae da pobreza e da caridade, veiu a fallecer às 21 horas do dia 1 de Julho.
Durante a sua permanencia em BOCAINA, foi muito visitado pelas pessoas daquella cidade. Prestaram-lhe os seus serviços os srs. pharmaceuticos inclusive o sr. TOLENTINO MARCONDES, que lá se achava.
O SEU SEPULTAMENTO
Em carro especial partiu de BOCAINA, às 8 horas e 12 minutos do dia 2, o corpo do desditoso medico, acompanhado por inúmeros amigos e pelos drs. OSORIO DIAS, MUTTO MANFRÊ, ALBERTO COELHO e MARIO DIAS COSTA, ambos médicos naquella localidade.
Chegado em DOURADO, às 10,15, a população e a circumvizinhança em peso achavam-se na estação e só se ouviam prantos e dolorosas exclamações.
Dali o seu corpo foi transportado para a egreja e às 16 horas realizou-se o seu sepultamento com incalculável acompanhamento.
O commercio conservou-se fechado durante todo o dia e as repartções publicas municipaes hastearam a bandeira como signal de luto.
Ao chegar ao cemitério a banda municipal "Carlos Gomes" executou uma harmonia fúnebre, escripta pelo maestro MANUEL BASILIO DA CRUZ dedicada à inesquecível e infeliz victima.
Falaram nessa ocasião os srs. dr.EDUARDO PIRAJÁ, dr. BENJAMIN AZEVEDO e ARISTOTELES SOARES DA ROCHA.
Entre as innumeras coroas oferecidas pudemos notar as seguintes: Ao Sinhô, ultimo adeus de Donanna; Ao Dr. Marques Ferreira, homenagem da Camara Municipal de Dourado; Homenagem dos drs. Amaral Carvalho, Abreu e dos médicos de Bocaina; Ao caro Marques, infinita saudade do Pirajá; Ao dr. Marques, saudades do corpo docente do grupo escolar de DOURADO; Ao dr. Marques, saudades dos amigos que o acompanharam; Ao inesquecível amigo dr. Marques, saudades eternas de Washington e Familia; Ao dr. Marques, saudades de Eloy, Antonieta e filhos; Ao dr. Marques, saudades de Brasilio Machado e família; Ao dr. Marques, saudades de Raul e Olga; Ao dr. Marques, gratidão da família Damy; Ao dr. Marques, lembrança do Couttar Tannuri; Ao dr. Marques, saudades da Pharmacia Santa Amelia; Ao dr. Marques, lembrança de Alfredo A. Araújo e família; Ao dr. Marques, lembranças de Romeu Araújo; Ao dr. Marques, lembranças de Alfredinho Araújo e família; Ao dr. Marques, homenagem de João Colagrossi e familia; Ao dr. Marques, saudades de Faro e família; Offerecido pelo Cesario, ao seu amigo dr. Marques; Ao dr. Marques, lembrança de Toufik Daher; Ao dr. Marques, offerece o pessoal das oficinas de Trabiju; Ao dr. Marques, últimos beijos de Lyriss e Lucia; Ao dr. Marques, saudades de Marcilio; Ao dr. Marques, saudades de Alcebíades Piza e família; Ao dr. Marques, saudades de Theodoro Piza; Ao dr. Marques, homenagem da família Del Ciel; Ao amigo dr. Marques, saudades de Oscar Borges; Ao dr. Marques, saudades de Antenor; Ao dr. Marques, homenagem e saudades do dr. Octavio Mendes; Ao amigo dr. Marques, saudades de Benedicto Meirelles e família; Ao dr. Marques, saudades do dr. Antônio Cajado Lemos; Homenagem de Leopoldo Machado e família ao bom amigo dr. Marques; Ao dr. Marques, homenagem dos operários da Companhia Douradense; Ao dr. Marques, saudades de José Placeres; Ao dr. Marques, saudades da família Pinhanelli; Ao dr. Marques, saudades de João Marsiglia; Ao dr. Marques, saudades dos amigos de Santa Clara; Ao dr. Marques, homenagem dos empregados da Força e Luz; Ao dr. Marques, saudades de Antônio de Franco e família; Saudades ao Marques Ferreira de Alonso Leite e famailia; Ao dr. Marques, saudades da família Buzzá; Saudades de Maria de Lourdes e Decio de Oliveira; Ao dr. Marques, homenagem do dr. Cajado e família; Ao caro Marques, ultimo abraço de Lourenço e Quena: Ao bom amiguinho dr. Marques, beijos de Maria Stella e Tony e muitas outras coroas de que não nos foi possível tomar nota. Foi o seu corpo, porém ficou o seu nome gravado para nunca se apagar da memoria do povo douradense e na da circunvizinhança. Podemos affirmar que é o homem que mais falta faz em DOURADO.
O dr. MARQUES, que contava apenas 36 annos de existência, deixa viúva, d. ANNA LAGE FERREIRA, MÃE, IRMÃO e IRMÃS, de quem neste momento não nos é possível dar os nomes. Será rezada a missa de sétimo dia.
À inconsolável família, nossos sentidos e sinceros pêsames.
 
FONTE: BNDIGITAL/CORREIO PAULISTANO
ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS


 
 
 
 
 

terça-feira, 8 de janeiro de 2019

CASA DOS PAPÉIS-174: A UNIÃO - NUMERO 2



ONTEM  E  OJE
ADELINO FRANCO
Lançando-se um rápido olhar ao passado, buscando-se para objetivo de um artigo os traços biográficos da <<ESTRADA DOURADO>>, nos saudosos dias que se perderam na penumbra dos anos, revivendo-se intensa ajitação comercial de então, colhemos cousas preciosíssimas que, dar-nos-iam até, uma grossa brochura se fôramos ao ponto de compilar tudo o que se desenrolou no seu cenário, tudo o que se relaciona com o seu progresso de oje.
Entretanto, vamos somente relembrar os seus capítulos mais simples pelos quais o leitor arguto poderá depreender do que são os outros, recamados das atividades dinâmicas dos chefes do passado.
A <<DOURADO>> em 1915.
Máu grado a conflagração Européa, a vida da ESTRADA éra de vigorosa ascenção.
Os trens rodavam sobre os trilhos com composições extraordinárias.
As zonas a que até oje serve estavam no auje da prosperidade. De Ribeirão Bonito à Bariri dominava nos seus pontos mais longínquos o ouro verde, num movimento, quais ondas marítimas, proporcionando aos viajantes que das janelas dos carros contemplavam a majestade da natureza e o trabalho humano, um espetáculo simplesmente deslumbrante. Em toas as estações notavam-se a alegria e o bem estar. A curiosidade ainda viva dos homens do sertão buscava em cada trem que passava, o motivo, a razão de ser do seu monstro poder de rodar, de correr vertiginosamente sobre o aço paralelo e sem fim. E quando o estridulo apito da maquina sete suava em meio dos cafesáis, os colonos deixavam o seu bendito labor para contempla-la no seu fusilado corre, deixando para trás o signal da velocidade por uma nuvem de pó. Era o encantamento. Era a portadora da civilisação que se afundava sertão adentro, qual foguete colorido a anunciar os dias festivos nas noites de S. João.
DOURADO. Cidadezinha dos épicos feitos. Toda a sua poesia de então, se constituía do seu trensinho de 0,60mm., formidável precursor do progresso da ESTRADA.
Com uma rabada de carros, ele dali partia e zig-zagueando os contornos da montanha numa corrida patética, demandava logo TRABIJÚ. A então baldeação vivia hora alegres. A meninada garrula ( o Aleixo também) fazia uma festa no afan de transportar as malas dos viajantes dos carros da bitola estreita para os carros da bitola larga, 20 minutos de ajitação.
De quando em vês, se ouvia na confusão de vozes, a vóz altissonante e imperativa de um chefe cuja memoria é até agora cultuada, que dizia: Oh! mocinho... faça isto!, faça aquilo!...  
***
A campainha da estação suava o embarque. Primeiro, o guarda do lendário PB1, dava o apito (único) e o comboio partia. Em seguida o guarda do P.1, fazia o mesmo. O trensito saía. A gente que ficava em TRABIJÚ, postava-se na plataforma da estação para contemplá-lo, até se perder de vista lá longe onde os trilhos se confundem com o orisonte. A maquina ia bufando. Boa Esperança. Java. Ponte Alta. Gavião Peixoto. Paulicéa. Nova Europa. Tabatinga. Anoitece. O trem contnua a marcha. Depois de rodar 40 minutos, vê-se ao longe um grupo de luzes pequeninas que aparece. Mais uns metros e chegava-se à Ibitinga. Hotel Deri!... Hotel Zuqui!...Um carro, cavalheiro!... Troli!... Era o vozerio dos que esperavam o trem. Curioso. Todos os veículos saiam apinhados. Bons tempos.
***
De Tabatinga a majestosa Itápolis, viajava-se pelo M.1, um quasi noturno que fazia o longo percurso com os carros sempre atopetados.  
Oje. Tudo se mudou. Ao em vês dos trens de bitola de 0,60mm. que cortavam aquela riquíssima zona de matas seculares, cujos troncos vetustos deslumbravam os viajantes, deslisam-se sobre os trilhos, de DOURADO à IBITINGA-ITAPOLIS, possantes locomotivas desafiando distancias e lotação. Novas estações foram construídas. Outro progresso. Outra vida.
Daquela época à dos dias que correm, a CIA. ESTRADA DE FERRO DO DOURADO, passou pelas mais radicais e uteis transformações. O espirito renovador e progressista dos chefes que se foram sucedendo, deu ao ritmo da ESTRADA, um quê de grandioso, que a coloca oje em plano admirável. Muito embora a crise que atravessamos a tenha prejudicada de rijo, ela se mantêm firme, vencendo todos os obstáculos que se lhe têm apresentado.
Caminhamos sempre para a frente, resolvendo os problemas urgentes e uteis a empresa a que servimos há de se tornar ainda, uma das mais invejadas ferrovias do glorioso Estado de São Paulo.  
-§§§§§§-
 
CONVESCOTE
Promovido pelo sr. JOÃO CUNHA  e senhorita CLARA MARTINS, realisou-se no domingo ultimo, em a fazenda "São José", deste município, de propriedade do sr. JOSÉ JACOBUCCI, um esplendido convescote, em o qual tomaram parte a fina elite ferroviária e douradense. 
Os convescotistas partiram desta cidade à 8 horas da manhã em confortáveis automóveis para aquele aprazível sitio. Em ali chegando organisaram as mais variadas e agradabilíssimas brincadeiras. Em a residência do sr. JACOBUCCI, ao son de ótima vitrola teve logar um pequeno baile que se primou pela sem igual camaradagem dos presentes.
Entre muitas pessoas que ali se encontravam notamos as seguintes: JOSÉ MARTINS JUNIOR, ANTONIO D'ANGELO, DOMINGOS FRONTEIRA, OSVALDO PLACERES, RAUL CUNHA, JOSÉ PLACERES, DUVILIO GRATÃO, JOSÉ PIZANI, NELSON PLACERES, SILVIO PLACERES, NADIR GRATÃO, MERCEDES FATORE, LUIZ SCIARRETA, SANTA FATORE, ALDACINHA CAMINHAS, DURUINA GRATÃO e LEONOR PLACERES.
Desta elegante escursão festiva todos os que nela tomaram parte guardam indeléveis recordações.
-§§§§§§-
DIVERSÕES
Teatro C. Gomes
Oje no Teatro C. Gomes, será exibido o monumental filme sonoro, da UFA, "O YATE DOS 7 PECADOS", com a sedutora Brigitt Helm.
Trabalho de intensa emoção fadado a um sucesso sem igual.
Dia 24 - "Azas Gloriosas" com Ramon Navaro.
-§§§§§§-
 
A UNIÃO-NUMERO 2-ANO I- 18 DE OUTUBRO DE 1931
ARQUIVO:CASA DOS PAPÉIS/FAMILIA GAUDENCIO DEL CIEL
  

domingo, 30 de dezembro de 2018

CASA DOS PAPÉIS-173: NOTAS ESPORTIVAS - 17


CRONICA ESPORTIVA

BOCAINA F.C.  vs. C. E. FERROVIARIO DOURADENSE

O jogo futebolístico de domingo, ultimo, que marcou nos annais do nosso esporte a esplendida estréa da nova directoria do CLUBE ESPORTIVO FERROVIARIO DOURADENSE, assim como a do BOCAINA F.C., está merecendo ainda, de todos que apreciam o futebolismo são, sem vaidades desconcertante, o mais sadio parabém, pelo modo brilhante e decidido por que decorreu, alheio que foi as competições desairosas do antagonismo brutal.
Muitas foram as espectativas que giraram em torno da peleja. Muitas foram, também, as decepções e muitos foram, igualmente, os elogios que se fizeram aos clubes contendores.
Não houve victoria em campo.
As aguerridas turmas que se defrontaram num jogo amistoso e electrizante, entram em campo, dispostos a tudo fazer pelo bom jogo que dignifica e produz effeitos salutares.
Jogaram dentro da ética esportiva. Obedeceram fielmente os cânones da moderna technica futebolística.
Conquistado que foi o primeiro tento pela mocidade valorosa componente do clube bocainense, já contavam victoria os seus admiradores douradenses, mas por um capricho da sorte, eis que a "jeunésse-dorée" do FERROVIARIO, conquista, também, o valiosos ponto que marcou o empate da tarde. 
Desde então o jogo prosseguiu com real animação, notando-se o equilíbrio de forças de ambas as partes.
A torcida culta de DOURADO vibra de enthusiasmo.
As arrancadas dos quadros combatentes são formidáveis.
Pareciam dominados pela suprema  vontade de conseguir a victoria às suas côres. Mas no entretanto, essa victoria não existiu. Existiu, porém, a victoria da cortezia. A victoria que poz em relevo o alto domínio social que caracteriza os elementos que compõem a néo-directoria do C. E. FERROVIARIO DOURADENSE, que são capazes de continuar defendendo o bom nome que sempre gozou essa entidade esportiva que é o mínimo dos cedeanos.
E com o empate de 1 a 1, terminou a partida pebolística o domingo ultimo, marco inicial das conquistas futuras do FERROVIARIO.
O juiz, sr. JOSÉ FATTORE, agiu à rigor.
 
C.E.F.DOURADENSE
CYRO
CANELA e MELÃO
BARDI, LOZANO e DODINHO
NITO, ADAUTO, CUNHA, CAPILÉ e ELPIDIO
 
 
A UNIÃO-Nº98-ANO II-QUARTA-FEIRA, 11 DE OUTUBRO DE 1933
 
ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS/RUDYNEI FATORE
 

sexta-feira, 21 de dezembro de 2018

CASA DOS PAPÉIS-172: TEMPOS DE ESCOLA - 1969


2ª SÉRIE - A/ MISTA - 1969
ESCOLA NORMAL E GINÁSIO ESTADUAL
"DR. SALLES JÚNIOR"
DOURADO
 
01 - ANA APARECIDA DE OLIVEIRA
02 - ANTONIO MOACIR ROSALIN
03 - CARLOS ALBERTO PIERINI
04 - CELSO NUNES
05 - DAGMAR MARIA GERALDO
06 - JOÃO EDUARDO DE SOUZA HOLL
07 - JOSÉ ANTONIO FINHANA
08 - JOSÉ MIGUEL DEMETI
09 - JOSÉ NEWTON TEIXEIRA COSTA
10 - JOSÉ ROBERTO BALDIM
11 - LAURO HENRICO DONIZETTI PANZA
12 - LUIZ CARLOS FERREIRA DE CARVALHO
13 - MARCELO PIRES BARTELOTTI
14 - MARIA APARECIDA BASSI
15 - MARIA APARECIDA DITORRO
16 - MARIA APARECIDA LIBBA
17 - MARIA DE FATIMA PIERINI
18 - MARIA JOSÉ CORREA
19 - MARIA JOSÉ MORAES
20 - MARIA LUCIA DOS SANTOS VARANDAS
21 - MARLI APARECIDA MODESTO DE ABREU
22 - MIRILDE FATIMA FOSCHINI
23 - NAIR LEAL PERES
24 - NELY NARA DE ARRUDA PENTEADO
25 - ODILA BERNADETE TORRES ARO
26 - OLIVETI ELZI SENA DE OLIVEIRA
27 - PEDRO DONIZETI BERGAMASCO
28 - RICARDO PELAES
29 - ROSANGELA APARECIDA MUNHOZ
30 - SALVADOR PALONE D'ANGELO
31 - SIDNEY STELLA
32 - SONIA MARIA DAL'EVEDOVE
33 - SONIA MARIA MIRANDA DA SILVA
34 - VICENTE DONIZETI ROSA
35 - WALDIR DONIZETI CANDIDO
36 - WALDIR LEANDRO
 
 
 
ARQUIVO:CASA DOS PAPÉIS/ENGED DR.SALLES JUNIOR

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

CASA DOS PAPÉIS-171: NOSSO JORNAL - 07


NOSSO JORNAL
Órgão do Ginásio Estadual "Dr. Salles Junior" de Dourado
Redatores: Professores e Alunos
ANO 1 - DOURADO, Abril de 1958 - Número 7
 
DESPEDIDA
Devido ao concurso de remoção transferiu-se para o Ginásio Estadual de Itaim - S.Paulo, a professora FREDA PERLA ROZEMBERG, catedrática de Inglês, que por muitos anos estivera entre nós, trabalhando ativamente pelo engrandecimento de nossa escola. À d.FREDA desejamos sinceramente, que se ambiente logo em seu novo ginásio e que seja muito feliz com sua escolha.
Também pelo concurso de remoção deixou-nos a Professora MARIA APARECIDA NORONHA que, apesar de pouco tempo que permaneceu em nosso Ginásio, conquistou a amizade de todos pela simpatia e personalidade.
Desejamos-lhe pleno êxito no Ginásio de Ibiúna, que foi por ela escolhido.
-§§§§§§-  
 
NOVOS PROFESSÔRES
Encontra-se já batalhando no Ginásio de DOURADO, D.LYS CASALE DE ARRUDA, catedrática de Inglês que se transferira de Duartina, no ultimo concurso de remoção.
À d. LYS nossas boas vindas e votos de feliz permanência.
Estando o prof. ALCEU WEDEKIN TRINDADE, catedrático de Canto Orfeônico, respondendo pela diretoria do Ginásio do Caxingui, na Capital, foi nomeada para substituí-lo a professora RENY DE CARLI, e para a cadeira vaga de matemática d. AMÉRIS DE LOURDES VITTI.
Desejamos aos novos professores muitas felicidades entre nós.
-§§§§§§- 
Padaria e Confeitaria "FRANCEZA"
Máximo Asseio
IRMÃOS PINHEIRO
Praça São João,4 - DOURADO
-§§§§§§-
O QUE VAI PELO GINÁSIO
Rifa-se:
A gordura da NEREIDE;
A antipatia do CARLINHOS;
O andar da HELENI;
O chapéu do ADEMAR;
O comportamento do AMILTON;
O modo delicado com que a GLAUCE entra na classe;
A maneira graciosa da 3ª série marcar compasso no assoalho;
A boina da SANDRA;
A tagarelice da SUELY;
Os palpites da ARILDE.
-§§§§§§-
NOTICIA ESPORTIVA
Dando inicio às suas atividades esportivas desta não, foi organizado pela cadeira de Educação Física - secção masculina, um Torneio Interno de Futebol, reunindo os alunos de nosso Ginásio.
Participaram do referido torneio, três equipes que receberam as seguintes denominações: ARSENAL, FLUMINENSE e TORINO FC. Após sensacionais partidas, saiu vencedora a equipe do FLUMINENSE, cujo capitão foi o aluno LUIZ CARLOS MUNHOZ. A equipe vencedora encerrou o Torneio invicta. Os jogos desenvolveram-se num clima de respeito, harmonia e cooperação, atingindo assim desta forma sua verdadeira finalidade. Os árbitros dos prélios, foram sorteados entre os próprios alunos.
Os alunos representantes do time campeão, receberão as medalhas que lhes foram ofertadas pelo grande esportista douradense Dr. JOÃO BUZÁ, em solenidade ainda não marcada.
Esperamos dar continuidade a estes programas esportivos, concorrendo assim para um maior campo de atividade extras-curriculares que o nosso Ginásio sempre tem proporcionado. 
-§§§§§§-
PAPELARIA VERNALIA
Possui um belíssimo sortimento de BIBELOUS, material Escolar, brinquedos, louças e artigos para presentes.
Rua Dr. Marques Ferreira,50 - DOURADO
-§§§§§§-
LAVOIX DE LA JEUNESSE
Orientação da Professora de Francês, Dna. CÉLIA ARANHA RICARDO
EXPOSITION DE FRANÇAIS
Du 14 au 17 du mois d'avril, les portes de la salle principale de la maison de monsieur le curé de notre ville ont été ouvertes au public pour qu'il put visiter l'exposition organisée par notre professeur de français, em collaboration avec les chaires de géographie, anglais et dessin. Chaque élève chargé de présenter um travail sur le jour Panaméricain a fait em carton colorié les cartes, les drapeaux et um petit résumé de la situation géographique, politique et commerciale du pays qu'il représentait, ainsi que des habitudes typiques de son peuple. Dnas peu de jours nous pourrons examiner les photos de cette exposition, photos qui sont em train d'être développées. Selon l'opinion courante, cette exposition a été l'une des melleures expositions qui aient eu lieu à DOURADO. Nous désirons que le professeur de français reste ici l'année prochaine pour que le 14 avril 1959 il puisse réalizer, avec les élèves de 4 éme, une autre exposition de ce genre, travail que nous avons beaucoup apprécié; nous voulons qu'il reste pour qu'il puisse avoir, de nouveau, le plaisir de voir ses élèves intéressés et appliqués, dans um désir sincère et louable de collaboration et camaraderie.
MARJORY SILVESTRE PEREIRA, élève de 4 ème
-§§§§§§-
ENGLISH CORNER
EXPOSITION
Under the supervision of our teacher of English, Miss LYS CASALE DE ARRUDA, and with the cooperation of the teachers of French, Drawing and Geography, na exposition of Works made by the pupils of the 4 th grade took place, on the days 14, 15, 16, 17 April.
Those works consisted of twenty-one placards wyth maps, flags and sayings in English about the twenty-one countries that share in the Organization of the American States.
This exposition was opened to the people of DOURADO and enjoyed them very much.
GLAUCE APARECIDA ASSUAD, pupil of the 3 rd. grade.
-§§§§§§- 
BAR E CONFEITARIA PRIMEIRO DE MAIO
DE
DELCIDES FONTANA
Bebidas nacionais e extrangeiras, petiscos, latarias, doces, pães, etc.
Rua Dr. Francisco Borja Cardoso,38 - DOURADO
-§§§§§§-
FATOS E BOATOS
Que o sr. EGYDIO passa com o cafézinho todos os dias é fato, mas que oferece é boato...
Que a d. IZAURA está sempre rindo é fato, mas que não tenha aborrecimentos é boato...
-§§§§§§-
 FÁBRICA DE MÓVEIS "BRASIL"
DE
GILDO BOSCHI
Executa-se todo e qualquer serviço pertencente ao ramo.
Oficina aparelhada com maquinários completo. Móveis de fino acabamento.
Rua Dr. Marques Ferreira,44 - DOURADO
-§§§§§§- 
SOCIAIS
BANCO DO VALE DO PARAIBA S.A.
Grandes festejos assinalaram a inauguração da nova agência do Banco do Vale do Paraíba S.A., nesta cidade.
Aqui estiveram os Diretores do conceituado estabelecimento bancário, vários deputados e inúmeros convidados de fora, além de grande parte da população. Muitos foram os discursos de elogio aos IRMÃOS CHAMMAS e ao gerente local, sr. ORLANDO ARAUJO.
Após as cerimônias da inauguração da nova agência, o Banco do Vale do Paraíba S.A. ofereceu um churrasco monstro, regado por várias dezenas de barris de Chope aos convidados.
"NOSSO JORNAL" augura à nova agência bancaria um futuro promissor.
-.-.-
ANIVERSARIOS DE MARÇO
Dia 4 - ANTÔNIO CARLOS ORTEGA
 "    4 - SÔNIA DAVOGLIO CEZAR
 "    7 - MARIA ISABEL ORTEGA BOSCHI
 "  12 - JOSÉ CARLOS ORTEGA
 "  14 - NANCI FRANCO BARBOSA
 "  15 - APARECIDA LAURA BERGAMASCO
 "  19 - SUELY BALDIN
 "  22 - APARECIDA CLEIDE STRUZIATO
 "  31 - Profa. IRENE INNOCENTINI
ANIVERSARIOS DE ABRIL
Dia 1 - MOACYR PENTEADO TOLEDO JUNIOR
 "    4 - LUIZ ANTONIO BATISTA
 "    5 - ÉLIDE RIGO
 "    8 - ANTONIO CARLOS BUZUTTI
 "    9 - Profa. EDMÉA DE AGOSTINI
 "  13 - MARIA ADMA UNDICIATTI
 "  14 - MARCELO DE ABREU
 "  16 - LOURDES MELLO FALCÃO
 "  20 - Sr. ANTÔNIO MONTEIRO NOVO
 "  23 - Profa. MARAISA PESCUMO CUNHA
 "  28 - Sr. OSWALDO MUNHOZ
 "  29 - RUTH SYLVESTRE PEREIRA
 "  29 - TEREZA DABRUZZO PAZIAN
Aos aniversariantes de março e abril, os melhores votos de felicidades e progressos nos estudos do "NOSSO JORNAL".
-§§§§§§-
CASA ORLANDO = ORLANDO P. TAVANO
Armarinhos, Miudezas em geral, Casimiras, Linhos nacionais e estrangeiros,
Sedas, Tricolines, Brins, Enxovais para casamentos, Camas, Colchões, Cadeiras, etc.
Rua Dr. Marques Ferreira, 41 e 44 - Fone 82 - DOURADO
-§§§§§§-
QUADRO DE HONRA
Alunos classificados em 1º lugar no ano de 1957.
MEDALHAS DE HONRA AO MÉRITO
 
1ª Série - MARIA IZABEL ORTEGA BOSCHI....média 8,65
2ª Série - MARIA ADALGISA GOMES................média 8,99
3ª Série - MARIA CECILIA MACARI..................média 7,50
4ª Série - MARIA ANGELA CARDILLO.............média 8,46
 
MELHORES ALUNOS DO GINÁSIO
1º LUGAR - MARIA ADALGISA GOMES.........média 8.99
                     (um dicionário português)
2º LUGAR - SUELY BALDIN..............................média 8,71 
                     (um álbum de fotografias)
-§§§§§§-
CASA BUSTO
Tecidos a preços baixos
Largo da Matriz -- DOURADO
-§§§§§§-
VENENOS DO CASCAVEL
...Quem anda com a MARIA JOSÉ o que pretende?...
...Alô, MARTA! o que se passou no cinema com você foi apenas uma brincadeira!...
...Ouvi dizer que o MANÉ está estudando!?
...Dizem que a SUELY chora tanto no cinema que está preocupando o dono do prédio!
...Por falar em boatos ouvi dizer que o MARCELO está apaixonado!
...Disseram que a MARJORY foi pedida em casamento, mas que não aceitou!
...Dizem que o sr. TOTÓ está ficando careca mas ele reclama dizendo que não é falta de cabelo, mas sim continuação do rosto...
-.-.-.-
QUEM SERÁ ?
Uma garota de cintura apertada, sempre se rebolando, loura de olhos castanhos, uma birruguinha no lábio inferior e vendendo sorrisos a todos que passam!?
Quem é o galã que anda sempre como TARZAN, julgando-se um segundo Tony Curtis?
Qual é a melhor colecionadora da 4ª série? ( de namorados)
Qual é o aluno da 4ª série que pretende fazer criação de carneiros para poder se casar?
Quem será o SHERLOCK da 4ª série que tudo vigia para poder reclamar?
As conquistas da M.A.B.B.?...
-§§§§§§-
FARMACIA SANTA MARIA
DE
ONEIDE DE SOUSA & CIA. LTDA.
Completo sortimento de produtos químicos, Farmacêuticos, Nacionais e Estrangeiros.
Rua Demétrio Calfat, 23 - Telefone 70 - DOURADO
-§§§§§§-
 FILMES DA SEMANA
A última barricada - com os artistas da 4ª série.
Lagrimas roubadas - com a NERCY.
Bem no meu coração - Com os artistas - ANA MARIA e CLOVIS
"Jaguar" - com o artista AMILTO.
A serpente singra o Mississipi - com a MARIA ADMA.
Sublime Obsessão - com GLAUCE, SÔNIA e MAGDALENA, as grandes apaixonadas da tela.
-§§§§§§-
As cinco mais... do Ginásio
LEILA PALOTA
MARIA FRANHÃ
NERCI FAZIO
MARJORY PEREIRA
MARIA LÚCIA
 
Os cinco mais... do Ginásio
ANTÔNIO MARCOS BOSCHI
AMILTON GOULART
JOSÉ CARLOS ORTEGA
CLOVIS MARCHI
JOÃO ALBERTO
-§§§§§§-
FABRICA DE MÓVEIS "MACARI"
DE
ORDEMAR MACARI
ESMERO E PERFEIÇÃO
Rua Floriano Peixoto, 72 - DOURADO
-§§§§§§-
 
ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS
   
 
 
 
 
  
 
 

domingo, 9 de dezembro de 2018

CASA DOS PAPÉIS-170: DOURADO É POESIA - 02


COISAS QUE O AMOR NOS DÁ
 
Ainda nem sei, se tu me queres,
Mas não me negues, se puderes,
O amor que podes dar-me.
 
Tu passas e eu olho
Não me canso de olhar
Teu jeitinho exótico,
Tua maneira de andar
 
Mas eu penso nisto:
Quem sabe para ela
Eu nem existo
Não, não quero isto pensar.
 
Ela me olha
E quando nossos olhos se cruzam
Procuro sempre encontrar a altitude do firmamento
Ou a profundeza do mar
 
A água da fonte é límpida
As almas também têm que ser
Meu coração vibraria
Se possuísse você.
 
LUIZ AUGUSTO BRAGA
JORNAL DE DOURADO-245-ANO VI-DOMINGO, 25 DE FEVEREIRO DE 1968

ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS

sábado, 1 de dezembro de 2018

CASA DOS PAPÉIS-169: CADA BANCO UMA HISTÓRIA - 02

DR. JOSÉ BUZÁ
ÍCONE DAS GRANDES OBRAS ASSISTENCIALISTAS DE DOURADO

Na entrada lateral da Praça da Matriz a direita de quem sobe está perpetuado o nome do grande benemérito douradense, Dr. JOSÉ BUZÁ.
Aqueles que o conheceram têm gravado em sua mente, a figura varonil e respeitada desse grande douradense.
Eu, quando me ausentei de Dourado, o Zé Buzá como o meu pai o chamava, era prefeito de nossa cidade.
Politico por ideal, esportista por convicção, Zé Buzá era conhecido por toda a comunidade devido a sua presença em todos os eventos que proclamassem DOURADO.
O nome diminutivo de Zé Buzá, sem o titulo antes do nome que identificava seu grau cultural, era usado por aqueles que independente do grau de escolaridade eram seus amigos. Sua presença era notada em todos os eventos esportivos, principalmente o futebol. Com visão administrativa e criativa, suas retoricas, dirigidas ao progresso ofuscavam os demais interlocutores.
Dr. JOSÉ BUZÁ, aos 78 anos de idade, tinha muita vitalidade empreendedora e como presidente do Dourado Clube, fundado por ele, terminou seus dias de realizações em um trágico acidente de transito em 1980.
DR. JOSÉ BUZÁ
Seus pais: JOÃO BUZÁ e CARMELLA
Nascimento: 06 de Setembro de 1902, em Dourado.
Formação: Escola de Farmácia e de Odontologia de Pindamonhangaba, em 22 dezembro de 1925.
Casamento: Com LEONTINA DO AMARAL S. BRAGA, em 31 de Maio de 1928
Filhas: LAVISE, casada com Rodney Fantini; e LEUDE MARIA, casada com Humberto Jacobucci. 
 Realizações: Social, Cultural, Esportiva e Política.
SOCIAL: Seu sonho estruturar espaços para atender às necessidades de nossa cidade:
- ASILO SÃO VICENTE DE PAULO, Amparo aos idosos.
- SALMER, Proteção ao menor carente.
- APAE, Assistência aos excepcionais.
Sua tendência; Amparar, Formar e Atender.
CULTURAL: Sócio-Fundador do DOURADO CLUBE, lazer para a sociedade douradense. Foi um dos fundadores do ROTARY CLUB DE DOURADO.
ESPORTIVA: Grande jogador e incentivador do futebol douradense e exímio jogador de polo.
POLÍTICA: Prefeito nomeado: 1) De 03/11/1945 à 22/11/1945; e 2) De 15/12/1945 à 26/03/1947.
Foi o primeiro Prefeito eleito pelo voto popular, para o período de 01/01/1948 à 31/12/1951.
Ao Dr. JOSÉ BUZÁ, nossas saudades.
RUDYNEI FATTORE
Jornal "O DOURADO"- nº207-ANO 11-DOURADO, 18 DE JANEIRO DE 2007.
-§§§§§§-

MEU PAI
Meu pai sempre despertou em mim, a colocação de um pensador: " O homem vale pelas marcas que deixa ao palmilhar as veredas da vida."
Convivi com as marcas que meu pai foi deixando por nossa querida DOURADO. Encontrava-as nos campos: familiar, profissional, promocional, social e político.
- No familiar registro a marca do "amor" que ia fundo em nossa personalidade querer e crescer.
- No profissional realço a dedicação para a "perfeição e honestidade para um respeito a seus clientes". Não havia preocupação com lucro monetário mas apenas de realização pessoal.
- No promocional e social é intensificado sua marca pois o julgo um "interferidor na estrutura de DOURADO". Justifico:
> É o primeiro douradense a desenvolver um trabalho  de apoio integral à velhice, acolhendo idosos de DOURADO e Região na Associação São Vicente de Paulo (Asilo)  - fundado por ele em terreno doado por seu grande amigo SEBASTIÃO A. MALHEIRO, com planta da obra feita por seu filho Engenheiro LUIZ ANTONIO F. MALHEIRO.
> Com uma ligação com seu grande amigo VALDEMAR SIMONI DE DOURADO, consegue motivá-lo a comprar a Chácara do Sr. JULIO PARDO para ali iniciar um dos mais necessários atendimento do momento - ao menor carente. Parte então, para a organização de uma OBRA de muito trabalho: acolhe os menores na SOCIEDADE ASSISTENCIAL DO MENOR - SALMER
> Seu ideal, neste campo era um Centro Promocional: idosos, menor e excepcional. É pois, impulsionado a concretizar um atendimento ao excepcional e inicia a construção do Prédio da APAE que hoje é uma realidade.
> Em meio a essa dedicação à promoção do carente, desperta a comunidade para a organização de um clube social ainda não existente em nossa cidade. Embora rodeado de fortes pressões, torna realidade o DOURADO CLUBE, dando mais sentido a convivência social da família douradense.
- No campo político sou testemunha de um atitude tão procurada em nossos governantes municipais - a " honestidade".
Como 1º prefeito eleito do Município, honrou essa 1ª situação com a marca da honestidade. Considero-me uma privilegiada, convivi com um político honesto. Em dever que leva a realizações no Município.
Sinto uma forte responsabilidade e um apoio sensível seguir as marcas de meu pai que viveu intensamente voltado para realizações que atingissem o bem-comum.
Espero transmitir a meus filhos tudo que assimilei de meu pai, um douradense de nascimento e de coração. 
Que suas marcas sejam setas que indiquem as novas gerações a direção do bem.
LAVISE BRAGA BUZÁ FANTINI
Jornal "FOLHA DE DOURADO" - Nº49 - De 06 DE MARÇO DE 1992.
-§§§§§§-
DR. JOSÉ BUZÁ
 
ROTARY - DR. JOSÉ BUZÁ e D. LEONTINA
 
 
PRAÇA DR. JOSÉ BUZÁ - Decreto nº475/81
"Fica denominado PRAÇA DR. JOSÉ BUZÁ", o logradouro publico
fronteiriço a Associação São Vicente de Paulo de Amparo à Velhice de Dourado".

SÉDE DA APAE - E.E.E.DR. JOSÉ BUZÁ

 
 
 
 
 ARQUIVO: CASA DOS PAPÉIS